sábado, 5 de abril de 2008

Moda, quem precisa dela?

Apesar de ser uma estudante de Design de Moda, eu sou contra imposição de tendências. Tipo, fulaninha tá usando tal coisa na novela e todo mundo começa a usar, por exemplo. Muitas vezes, são coisas horríveis. Como naquela novela lá que eu não me lembro o nome, em que a Deborah Secco usava meinhas com sandália plataforma. How bizarre, credo!
Parece estranho me revoltar contra algo que fará parte da minha vida no futuro (ou melhor, já faz, com os trabalhos que preciso fazer pra faculdade). Primeiramente, queria deixar claro que sou contra Certo/Errado. A não ser, é claro, quando são dadas dicas elementares que algumas pessoas insistem em ignorar, como "listras verticais alongam, listras horizontais engordam", coisas assim. Agora, quando dizem que, sei lá, sandália rasteirinha tá por fora, o negócio agora é salto fino, eu penso: dane-se, ué! Desde que a pessoa use algo que a faça se sentir bem, tudo tá valendo.
Claro que a vida real não é assim tão bonita. Voltemos ao ponto de partida, uma reles estudante de Design de Moda. Saber das tendências é importante? Para nós, profissionais, sim. Porque, apesar de algumas pessoas não gostarem, o grande público ainda é muito apegado ao que todo mundo tá usando. Se esse ponto de referência for algum lugar do outro lado do oceano, tanto melhor. Isso não quer dizer, necessariamente, que as pessoas andem todas iguais. Porque, se você analisar bem, verá que tudo é moda, só algumas coisas eventualmente estão mais em evidência do que outras.
Aliás, esse troço de tendência também limita um bocado a nossa vida, ainda mais se você mora numa cidade do Interior. É aquele negócio: se a moda da estação é calça de boca larga, você não acha calça ajustada em lugar algum, e vice-versa. Isso sempre me irritou bastante, o que me faz me voltar ainda mais contra a moda em si.
A indústria da moda por vezes é cruel, instigando as pessoas a trocar seu guarda-roupa a cada seis meses, ou menos. Mas tem pessoas como eu que não caem nessa conversinha mole não. Então falando assim como amiga que só quer o bem de vocês, digo: ninguém precisa do editorial de moda pra viver, nem de desfiles, nem de coisa alguma. Faça o que você quiser, tenha o seu estilo e boa sorte!

* * *
Come on kids, don't be scared
It's a tits and ass world you gotta be prepared
George Michael - Freeek!

Um comentário:

* disse...

Oi me chamo Grazy, sou estilista, gostei do Seu blog,e para mim o estilista que pretende expandir seu trabalho, ele deve atender mais as necessidades de um usuário, moda não deve ser "ousada mas .. usada". para magros e gordos.Acredito que o desafio na ousadia da criatividade deveria dar lugar àquelas peças de passarela que você sabe que os brasileiros irão usar.